TPQB TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ TPQB - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Atenção: O período em que os Candidatos aprovados para o Mestrado (Acadêmico ou Profissional) deverão acessar a Intranet do TPQB para completar o cadastro vai de 29/08/2017 a 31/08/2017. Só então o acesso será liberado.
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
Atenção: O período em que os Candidatos aprovados para o Mestrado (Acadêmico ou Profissional) deverão acessar a Intranet do TPQB para completar o cadastro vai de 29/08/2017 a 31/08/2017. Só então o acesso será liberado.
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2012

Avaliação Econômica de um Processo de Produção de Biodiesel utilizando THF como Co-Solvente.

Autora: Fernanda Geórgia de Figueiredo Taborda BarbosaMP.
Orientador: Márcio Nele de Souza.

Resumo

O alto custo de produção do biodiesel é um obstáculo à expansão da oferta e do consumo deste combustível. Nesse contexto, pode-se entender o grande número de estudos e pesquisas atuais abordando explorações de novas matérias-primas e novas rotas de produção de biodiesel, como tentativas de reduzir esses custos.

O presente trabalho teve por objetivo avaliar se o uso do tetrahidrofurano (THF), como co-solvente em um processo de produção de biodiesel, é economicamente vantajoso. Assim, foram realizadas simulações do processo de transesterificação básica do óleo de soja com metanol, utilizando o simulador de processos Aspen/HYSYS®, para avaliar a diferença de desempenho entre o processo sem e com THF.

Para o processo sem THF, foram simulados quatro casos, diferindo-se pela razão molar de álcool e óleo utilizada, que variou de 6:1 a 15:1. Já para o processo com THF, apenas um caso foi simulado, com razão molar de álcool e óleo de 6:1 e razão volumétrica entre THF e álcool de 1,6:1. Nos dois casos, foi utilizada a mesma sequência de equipamentos e operações unitárias. Dados cinéticos obtidos na literatura para os processos sem e com THF também foram usados nas simulações. Os resultados destas foram verificados quanto às especificações vigentes e analisados economicamente.

Concluiu-se, então, nas condições deste trabalho, que apesar do elevado preço do THF, seu uso no processo é vantajoso. Ele aumenta a receita, não requer adaptações no processo e não aumenta os custos com utilidades e equipamentos. Tais vantagens estão associadas, provavelmente, ao fato deste co-solvente promover uma melhora da cinética reacional, aumentando a taxa de reação, sem impactar nas etapas de separação do processo, uma vez que pode ser facilmente recuperado e reciclado, juntamente com o metanol.