TPQB TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ TPQB - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1
  19. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  20. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  21. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  22. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  23. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  24. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  25. Potencialidades do Cajueiro
  26. Processos Inorgânicos
  27. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  28. Reúso de Água em Processos Químicos
  29. Setores da Indústria Química Orgânica
  30. Technology Roadmap
  31. Tecnologia do Hidrogênio
  32. Tecnologia Enzimática
  33. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  34. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  35. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2012

Microemulsão do Sistema de Água-Etanol-Isoctano.

Autor: Estephan Corrêa Estephan.
Orientadores: Frederico Wanderley Tavares, Márcio Nele de Souza.

Resumo

A crescente demanda mundial por fontes renováveis e sustentáveis de energia causa uma pressão da sociedade para utilização de biocombustíveis, tais como o etanol. Este uso pode inclusive diminuir a emissão de gases do efeito estufa como CO, CO2, NOx e SOx. O etanol já é utilizado em larga escala como combustível automotor, principalmente em países como Brasil e EUA, mas ainda pode ter seu uso ampliado tanto de maneira pura (etanol anidro) como em conjunto com a gasolina, como previsto na legislação brasileira.

A presente dissertação mais especificamente, estuda o equilíbrio termodinâmico da mistura ternária água/etanol/isoctano, utilizando o isoctano como componente modelo da gasolina. A estabilidade da mistura foi alcançada via formação de microemulsão. Para direcionar a formulação, a teoria do Desvio Hidrofílico - Lipofílico (HLD) dos sistemas água/óleo/surfactantes foi utilizada com sucesso.

A presente dissertação tem por objetivo estudar e propor uma formulação de combustível que seja estável em diferentes composições e temperaturas. A formulação de combustível proposta é utilizada em substituição à mistura etanol/gasolina que, quando contaminada com água pode apresentar duas fases (miscibilidade parcial).

A existência de duas fases é altamente indesejável em combustíveis, tanto do ponto de vista comercial quanto pelo ponto de vista técnico, pois acarretariam problemas de dispersão do combustível no motor, bombeamento, entre outros.

Para tentar solucionar tais problemas foi utilizado um surfactante e um cossurfactante, onde escolheu-se surfactante não iônico Polioxietileno 10 Tridecil Éter (C13E10) e o octanol foi utilizado como cossurfactante. A partir das formulações propostas, foi possível aumentar a porcentagem de água presente na mistura em equilíbrio em uma quantidade de mais de 140%, usando 9% (±1%) de surfactantes. Para menores quantidades de surfactantes, 5% (±0,6%), o aumento na quantidade de água pode chegar até 75%. A formulação proposta, em termos de microemulsão, permite um combustível estável em uma maior faixa de temperatura e em maior teor de água.