TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ TPQB - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2009

Utilização da Metodologia RBCA em Atividades de Revenda de Combustíveis - Estudo de Caso no Município do Rio de Janeiro

Autora: Débora de Barros
Orientadora: Denize Dias de Carvalho.

Resumo

A atividade de abastecimento e revenda de combustíveis apresenta um grande potencial para a contaminação do meio ambiente. O meio ambiente, uma vez contaminado, representa uma fonte de risco à saúde humana.

No município do Rio de Janeiro, o processo para o Licenciamento Ambiental da atividade de abastecimento e revenda de combustíveis, envolve a apresentação de uma Análise de Risco Tier 2, nos casos em que a Investigação Ambiental Preliminar do local aponte a necessidade de tal elaboração.

O objetivo geral desta dissertação foi avaliar a utilização do programa - RBCA Tool Kit for Chemical Releases v2.01 como ferramenta de análise de risco para áreas de postos de abastecimento e revenda de combustíveis da cidade do Rio de Janeiro.

Os objetivos específicos foram desenvolver um método de abordagem e aplicá-lo em dois estudos de caso previamente selecionados e analisados pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente da Cidade do Rio de Janeiro (SMAC), visando identificar os principais riscos potenciais aos receptores em cada cenário desenvolvido.

A partir da avaliação dos casos estudados concluiu-se que é necessário que o desenvolvimento de uma Análise de Risco para área de postos de revenda de combustíveis deva contemplar o cenário atual e os possíveis cenários futuros de exposição visando à segurança e à saúde tanto da população direta como da indiretamente exposta.

Os resultados das simulações dos estudos de caso mostraram que não há necessidade de avaliar em uma única simulação todas as vias de exposição, pois de acordo com as condições estudadas, não houve interação dos mecanismos de transporte e dos modelos matemáticos em uma análise conjunta.