TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ TPQB - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Atenção: Os novos alunos de Mestrado Acadêmico já podem completar seus dados. Pedimos aos outros que aguardem mais um pouco. (07/12/2016 15:50)
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!

Teses de Doutorado Defendidas: 2011

Extração e Secagem da Casca de Jambo Vermelho (Syzygium malaccencis, (L.)) para Obtenção de Corante.

Autora: Ivanilda Maria Augusta.
Orientadores: Maria Antonieta Peixoto Gimenes Couto, Maria Cristina Antun Maia.

Resumo

A presente pesquisa foi realizada com o jambo vermelho (Syzygium malaccensis, (L.) colhido na região de Seropédica, Rio de janeiro, na safra de abril de 2007 a maio de 2011 e objetivou a obtenção de corantes a partir da sua casca.

Através das características físicas e químicas da casca de jambo vermelho, constatou-se que é possível o seu processamento na fabricação de geléias, e sucos. Poucos dados sobre a composição da sua casca e o que promove a sua cor vermelha são disponíveis na literatura.

Observando que esses corantes são fotossensíveis, o estudo da secagem por microencapsulação foi conduzido com o uso de maltodextrina 10 DE para melhor conservação de suas propriedades físicas e químicas. O extrato da casca foi obtido com o uso de etanol e ácido clorídrico (85:15). Entre os solventes avaliados para a extração ( ácido acético, ácido fórmico,etanol e metanol), o etanol acidificado foi o que apresentou o melhor poder de extração.

O extrato foi atomizado em spray dryer de bancada, marca Buchi, modelo 190. A metodologia seguida foi a preconizada por BARROS et al.(2007). Os fatores avaliados foram temperatura de entrada ( 169, 175, 190, 205 e 211ºC ), a temperatura de saída (85, 93, 94, 95,96 ºC). O teor de antocianinas, determinado por pH diferencial, foi de 116,25 mg.g-1 na casca.

As variáveis dependentes analisadas com seus respectivos valores foram:

Não foi possível obter uma faixa de temperatura e carreador otimizados para todas as variáveis analisadas. Como o objetivo foi a obtenção de corantes em uma avaliação inicial, pode-se considerar os ensaios E5 e E6 como otimizados para obtenção do corante da casca do jambo, embora as outras variáveis também sejam consideradas importantes no processo de obtenção do corante da casca de jambo. Ficando para estudo posterior o uso de outras temperaturas e concentrações de maltodextrina pura e combinada com outros agentes carreadores para uma melhor otimização do extração de corantes da casca de jambo vermelho.