EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
English Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Atenção: Os candidatos selecionados no Processo Seletivo MP 2019/1 devem usar os mesmos CPF e Senha da inscrição no Processo Seletivo. Caso tenha esquecido, peça "Lembrar Senha" na tarja azul clara no topo desta tela. Só precisa preencher a opção Registro de Matrícula, subopções Dados Pessoais, Contato e Documentação
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  19. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  20. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  21. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing
  22. Offshore Processing of CO2 Rich Natural Gas with Supersonic Separator
  23. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  24. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  25. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  26. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  27. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  28. Potencialidades do Cajueiro
  29. Processos Inorgânicos
  30. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  31. Reúso de Água em Processos Químicos
  32. Setores da Indústria Química Orgânica
  33. Technology Roadmap
  34. Tecnologia do Hidrogênio
  35. Tecnologia Enzimática
  36. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  37. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  38. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Teses de Doutorado Defendidas: 2011

Extração e Secagem da Casca de Jambo Vermelho (Syzygium malaccencis, (L.)) para Obtenção de Corante.

Autora: Ivanilda Maria Augusta.
Orientadores: Maria Antonieta Peixoto Gimenes Couto, Maria Cristina Antun Maia.

Resumo

A presente pesquisa foi realizada com o jambo vermelho (Syzygium malaccensis, (L.) colhido na região de Seropédica, Rio de janeiro, na safra de abril de 2007 a maio de 2011 e objetivou a obtenção de corantes a partir da sua casca.

Através das características físicas e químicas da casca de jambo vermelho, constatou-se que é possível o seu processamento na fabricação de geléias, e sucos. Poucos dados sobre a composição da sua casca e o que promove a sua cor vermelha são disponíveis na literatura.

Observando que esses corantes são fotossensíveis, o estudo da secagem por microencapsulação foi conduzido com o uso de maltodextrina 10 DE para melhor conservação de suas propriedades físicas e químicas. O extrato da casca foi obtido com o uso de etanol e ácido clorídrico (85:15). Entre os solventes avaliados para a extração ( ácido acético, ácido fórmico,etanol e metanol), o etanol acidificado foi o que apresentou o melhor poder de extração.

O extrato foi atomizado em spray dryer de bancada, marca Buchi, modelo 190. A metodologia seguida foi a preconizada por BARROS et al.(2007). Os fatores avaliados foram temperatura de entrada ( 169, 175, 190, 205 e 211ºC ), a temperatura de saída (85, 93, 94, 95,96 ºC). O teor de antocianinas, determinado por pH diferencial, foi de 116,25 mg.g-1 na casca.

As variáveis dependentes analisadas com seus respectivos valores foram:

Não foi possível obter uma faixa de temperatura e carreador otimizados para todas as variáveis analisadas. Como o objetivo foi a obtenção de corantes em uma avaliação inicial, pode-se considerar os ensaios E5 e E6 como otimizados para obtenção do corante da casca do jambo, embora as outras variáveis também sejam consideradas importantes no processo de obtenção do corante da casca de jambo. Ficando para estudo posterior o uso de outras temperaturas e concentrações de maltodextrina pura e combinada com outros agentes carreadores para uma melhor otimização do extração de corantes da casca de jambo vermelho.