TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ TPQB - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2011

Estudo do Efeito do Farnesol sobre a Morfologia Celular de Yarrowia Lipolytica

Autora: Patrícia Martins Botelho Nunes.
Orientadores: Maria Helena Miguez da Rocha Leão, Priscilla Filomena Fonseca do Amaral.

Resumo
Yarrowia lipolytica é um microrganismo estritamente aeróbio, eucariótico, dimórfico, do reino Fungi e apresenta uma vasta aplicação tecnológica. Esta levedura é um bom modelo para o estudo do dimorfismo, pois apresenta suas fases morfológicas (hifa, pseudohifa e levedura) bem definidas e não é patogênica.

Estudos sobre o dimorfismo têm ganho destaque, pois ele é determinante na virulência da maioria dos fungos patogênicos e o conhecimento dos mecanismos que o regulam pode auxiliar na terapia de doenças causadas por fungos dimórficos, através do desenvolvimento de novos fármacos.

Farnesol é um sesquiterpeno, componente de muitos perfumes, é uma molécula sinalizadora (quorum-sensing, molécula QSM), que inibe a formação de hifas em Candida albicans e tem apresentado também a capacidade de prevenir a formação de biofilme por este fungo.

No presente trabalho, a indução da formação de hifas foi realizada com N-acetilglicosamina e soro fetal bovino. A formação de hifas foi analisada através do processamento digital de imagens (em software Matlab 7.0.4) obtidas através de uma câmera digital acoplada a um microscópio óptico com aumento de 400x. Através de um planejamento experimental verificou-se que a agitação utilizada para o cultivo das células de Y. lipolytica influenciou de forma significativa a formação de hifas. Agitações inferiores induziram a formação de um maior número de hifas, provavelmente devido a uma menor oferta de oxigênio no meio de cultivo.

Farnesol foi adicionado aos meios de cultivo nas concentrações de 300, 600, 900 e 1200 µM para a determinação da concentração mais eficaz para a inibição da formação de hifas. Foi observado que o farnesol inibe o crescimento celular em Y. lipolytica. A formação de hifas também foi inibida em 31,6% e esta inibição foi dependente da concentração. Na presença de N-acetilglicosamina como indutor, a inibição da formação de hifas por farnesol chegou a 44,4%.