TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ TPQB - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2012

Integração dos Processos de Extração Líquido-Líquido e Pervaporação para Desacidificação do Óleo de Macaúba (Acromia aculeata).

Autora: Priscila Albuquerque da Costa.
Orientadoras: Suely Pereira de Freitas, Lourdes Maria Correa Cabral.

Resumo

A Macaúba é uma planta da família Palmae e ocorre, principalmente, no Estado de Minas Gerais. Seus frutos apresentam elevado valor proteico, grande quantidade de carotenóides, elevado valor energético e elevado percentual dos ácidos graxos ômegas 3, 6 e 9. O óleo da polpa é predominantemente constituído por ácido oleico e apresenta grandes semelhanças ao azeite de palma.

A desacidificação é uma das etapas mais importante do refino de óleos, pois interfere no prolongamento da estabilidade oxidativa do óleo e, como consequência, na aceitação pelo consumidor. Este processo pode ser realizado por meio da extração líquido-líquido (ELL) com etanol hidratado, reduzindo o consumo energético e permitindo a preservação dos compostos nutricionais do óleo.

A pervaporação é um processo para a recuperação do álcool, e é baseada na diferença da pressão de vapor dos componentes da mistura.

Assim, os objetivos do trabalho foram selecionar os parâmetros do processo de desacidificação do óleo da polpa de macaúba por fracionamento, recuperar os ácidos graxos livres (AGL) usando etanol hidratado e separar o soluto pelo processo de pervaporação.

A seleção dos parâmetros de desacidificação, em escala de bancada, a validação dos parâmetros em escala semipiloto e a determinação da cinética de separação das fases foram feitas por meio da análise de variância aplicando-se o teste de Fisher (p<0,05).

O etanol foi recuperado pelo processo de pervaporação no módulo de bancada por filtração tangencial usando-se uma membrana densa anisotrópica de polidimetilsiloxano com 50,3x10-4m² de área. A acidez inicial, a razão solvente/substrato, o teor de água no etanol e o número de estágios são fatores importantes na remoção dos AGL e na eficiência do processo. Entretanto, a temperatura de extração não afetou significativamente (p<0,05) o desempenho do mesmo.

Em relação à pervaporação, observou-se que a membrana utilizada foi seletiva e permitiu a separação total dos AGL obtendo-se um permeado isento do soluto.

Conclui-se que a desacidificação do óleo de macaúba por meio da extração líquido-líquido com etanol é indicada para óleos com acidez da ordem de 10 % de AGL e que a pervaporação é um processo que poderá ser utilizado na recuperação total do solvente.