TPQB TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ TPQB - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1
  19. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  20. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  21. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  22. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  23. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  24. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  25. Potencialidades do Cajueiro
  26. Processos Inorgânicos
  27. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  28. Reúso de Água em Processos Químicos
  29. Setores da Indústria Química Orgânica
  30. Technology Roadmap
  31. Tecnologia do Hidrogênio
  32. Tecnologia Enzimática
  33. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  34. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  35. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Teses de Doutorado Defendidas: 2012

Estudo do Potencial Citotóxico, Genotóxico e Mutagênico em Células de Allium cepa da Parationa Metílica antes e após aplicação dos processos UV e UV/H2O2.

Autora: Bárbara Rodrigues Geraldino de Andrade.
Orientadoras: Juacyara Carbonelli Campos, Márcia Walquíria de Carvalho Dezotti.

Resumo

A parationa metílica é um praguicida do grupo dos inseticidas bastante utilizado no Brasil, mesmo após ter sido banido em vários países por uma série de suspeitas como desregulação endócrina e câncer.

No presente estudo foi avaliada a degradação da parationa metílica, na menor concentração que é preparada para aplicação em campo (30 mg/L), pela exposição à radiação UV e processo UV/H2O2.

A fotólise da PM levou a uma redução da sua concentração, atingindo uma eficiência de degradação de 83% após 120 min de exposição. Entretanto, para o processo UV/H2O2 nas razões molares H2O2/PM de 1:1 e 2:1 a eficiência de degradação foi de 99% após um período de irradiação de 100 min e 20 min, respectivamente.

Os valores das constantes cinéticas aparentes obtidas foram 0,0144 para a fotólise e 0,0484 e 0,2024 min-1 para o processos UV/H2O2, nas razões molares H2O2/PM de 1:1 e 2:1, respectivamente.

A fotólise não levou a mineralização da PM. Entretanto, no processo UV/H2O2 após um período de irradiação de 60 min observou-se uma redução do COT de 85% e 60% na razão molar H 2O2/PM de 1:1 e 2:1, respectivamente. Os íons sulfato foram os que apareceram em concentrações mais elevada quando aplicado processo UV/H2O2.

A atividade estrogênica da PM foi avaliada através do ensaio YES e observou-se uma fraca resposta estrogênica. A PM (30mg/L) induziu a formação de micronúcleo e aberrações cromossômicas em células meristemáticas de Allium cepa. No entanto, a PM exposta à radiação UV apresentou maior potencial em induzir alterações genéticas.

A fotólise da PM levou a um aumento significativo da genotoxicidade, indicando que apesar de ter ocorrido a sua degradação parcial, houve geração de metabólitos potencialmente tóxicos. A toxicidade diminuiu consideravelmente após o processo UV/H2O2 na razão H2O2 /PM de 2:1.