EPQB EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos EPQB - Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ EPQB - Programa de Pós-Graduação em Engenharia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
English Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Atenção: Os candidatos selecionados no Processo Seletivo MA 2020/1 ou DSc 2020/1 devem usar os mesmos CPF e Senha da inscrição no Processo Seletivo e, se necessário, pedir "Lembrar Senha" na tarja azul clara no topo desta tela. Só precisa preencher a opção Registro de Matrícula, subopções Dados Pessoais, Contato e Documentação.
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação - Fundamentos e Aplicações
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Hidrogênio e Células a Combustível
  17. Inovação - O Combustível do Futuro
  18. Integração Refino-Petroquímica - Tendências e Impactos
  19. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  20. Microbiologia Industrial - vol. 1: Bioprocessos
  21. Microbiologia Industrial - vol. 2: Alimentos
  22. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1: Hidrocraqueamento de Frações Pesadas
  23. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 2: Hidrotratamento de Destilados
  24. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo - Aplicações em MatLab
  25. Monoethylene Glycol as Hydrate Inhibitor in Offshore Natural Gas Processing - From Fundamentals to Exergy Analysis
  26. Offshore Processing of CO2-Rich Natural Gas with Supersonic Separator - Multiphase Sound Speed, CO2 Freeze-Out and HYSYS Implementation
  27. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  28. Oportunidades em Medicamentos Genéricos - A Indústria Farmacêutica Brasileira
  29. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural no Brasil e no Mundo
  30. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  31. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  32. Potencialidades do Cajueiro - Caracterização Tecnológica e Aplicação
  33. Processos Inorgânicos
  34. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  35. Reúso de Água em Processos Químicos - Modelo Integrado para Gerenciamento Sustentável
  36. Setores da Indústria Química Orgânica
  37. Sustainable Catalysis for Biorefineries
  38. Technology Roadmap
  39. Tecnologia do Hidrogênio
  40. Tecnologia Enzimática
  41. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  42. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  43. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Dissertações de Mestrado Defendidas: 2008

Bio-óleo a partir da Pirólise Rápida, Térmica ou Catalítica, da Palha da Cana-de-Açúcar e seu co-processamento com Gasóleo em Craqueamento Catalítico.

Autor: Marlon Brando Bezerra de Almeida.
Orientadores: Donato Alexandre Gomes Aranda, Yiu Lau Lam.

Resumo

Esta pesquisa tem dois objetivos principais: O primeiro é estudar o co-processamento do gasóleo com o bio-óleo, oriundo da pirólise rápida da palha da cana, no processo de craqueamento catalítico (FCC) verificando seu efeito nos rendimentos e na qualidade dos produtos. O segundo é estudar diferentes catalisadores no processo de pirólise catalítica de biomassa visando a obtenção de um bio-óleo de melhor qualidade, ou seja, com um menor teor de oxigenados, que possa ser co-processado em refinarias de petróleo.

Misturas gasóleo/bio-óleo e gasóleo/fração orgânica, fração obtida a partir da remoção dos ácidos carboxílicos presentes no bio-óleo, nas proporções 90/10 e 95/5 foram submetidas ao craqueamento catalítico a 535oC em um reator de laboratório de leito fluidizado com catalisador de craqueamento de equilíbrio (ECAT) puro e misturado a um aditivo à base de ZSM-5, na proporção 90% ECAT / 10% aditivo. Foi demonstrada em escala de bancada a viabilidade de co-processamento de até 10% de bio-óleo sem causar efeitos negativos na conversão e distribuição de produtos. Observou-se um pequeno aumento no coque e gás combustível, uma ligeira queda no rendimento de GLP, olefinas leves e hidrogênio. A gasolina apresentou um pequeno aumento nos teores de olefinas e de aromáticos, redução do teor de parafinas e presença de fenóis. A desoxigenação se deu principalmente via descarboxilação e desidratação, sendo a primeira favorecida pela ZSM-5 em relação à zeólita Y.

Os estudos de pirólise catalítica foram conduzidos em um reator TGA-Vortex a 450-550oC utilizando como matéria-prima a lignocel e a palha da cana-de-açúcar. Foram testados catalisadores ácidos, contendo ZSM-5, e básicos, MgO e hidrotalcita. Adicionalmente, a palha de cana foi impregnada com H3PO4 e Mg(NO3)2. Comparado com a pirólise térmica, o processo catalítico resultou em queda no rendimento de líquido, aumento nos rendimentos de coque, dos gases, incluindo CO, CO2 e hidrocarbonetos, e de água. A desoxigenação ocorreu principalmente através das reações de descarboxilação, descarbonilação e desidratação. Os catalisadores básicos favoreceram as reações de descarboxilação, enquanto que os ácidos favoreceram as reações de descarbonilação e de desidratação. A impregnação da palha com ácido fosfórico e com nitrato de magnésio alterou a degradação da lignocelulose, reduzindo a temperatura de máxima decomposição e modificando a distribuição dos produtos. O pré-tratamento da palha de cana com ácido fosfórico, seguido da pirólise, favoreceu as reações de desidratação em detrimento da descarboxilação.

A desoxigenação via descarboxilação é a rota mais indicada para produzir biocombustíveis a partir do bio-óleo, uma vez que são produzidos produtos com maior relação H/C e consequentemente com maior conteúdo energético. Portanto, os catalisadores básicos são os mais indicados.


Apoio Institucional e Financeiro

O EPQB agradece o apoio recebido da CAPES
Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior