TPQB TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos TPQB - Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ TPQB - Programa de Pós-Graduação em Tecnologia de Processos Químicos e Bioquímicos da EQ/UFRJ
Busca 
Intranet
Por favor, digite ou corrija o CPF!
Por favor, digite sua Senha!
Lembrar Senha
Por favor, digite ou corrija o E-Mail!
This is an example of a HTML caption with a link.
Formulário de Busca
×

Páginas dos Livros nos Sites das Editoras

Ver Legenda   Página Existente
  Página não encontrada

  1. A Aprendizagem Tecnológica no Brasil
  2. Análise Térmica de Materiais
  3. Aproveitamento Energético e Caracterização de Resíduos de Biomassa
  4. Biocatálise e Biotransformação
  5. Biocombustíveis no Brasil
  6. Biomassa para Química Verde
  7. Chemistry Beyond Chlorine
  8. Compositional Grading in Oil and Gas Reservoirs
  9. Controle e Monitoramento de Poluentes Atmosféricos
  10. Dinâmica, Controle e Instrumentação de Processos
  11. Economia da Energia
  12. Engenharia de Processos
  13. Gestão em Biotecnologia
  14. Glycerol - A Versatile Renewable Feedstock for the Chemical Industry
  15. Handbook of Fruit and Vegetable Flavors
  16. Inovação - O Combustível do Futuro
  17. Mapeamento Tecnológico de Polímeros Furânicos
  18. Modelagem Composicional de Frações de Petróleo - Vol. 1
  19. Modelagem e Controle na Produção de Petróleo
  20. Olefinas Leves - Tecnologia, Mercado e Aspectos Econômicos
  21. Oportunidades em Medicamentos Genéricos
  22. Panorama e Perspectivas da Estocagem Geológica de Gás Natural
  23. Patenteamento & Prospecção Tecnológica no Setor Farmacêutico
  24. Planejamento de Experimentos usando o Statistica
  25. Potencialidades do Cajueiro
  26. Processos Inorgânicos
  27. Reologia e Reometria - Fundamentos Teóricos e Práticos
  28. Reúso de Água em Processos Químicos
  29. Setores da Indústria Química Orgânica
  30. Technology Roadmap
  31. Tecnologia do Hidrogênio
  32. Tecnologia Enzimática
  33. Tecnologias de Produção de Biodiesel
  34. Technological Trends in the Pharmaceutical Industry
  35. Tendências Tecnológicas no Setor Farmacêutico
×

Resolução nº 01/2017 - Diretrizes para Escolha de Membros de Bancas de Defesas

Considerando que para garantir uma boa avaliação dos trabalhos desenvolvidos no Programa é necessário montar as melhores bancas possíveis, menos endógenas e que tenham um respaldo da comunidade científica nacional e da Capes, o Programa EPQB

Resolve

Art. 1º - Os orientadores deverão encaminhar à secretaria do programa, com no mínimo 30 (trinta) dias de antecedência da data prevista para a defesa, os seguintes documentos:

  1. Histórico escolar atualizado do aluno.
  2. Formulário de indicação de banca corretamente preenchido.
  3. Curriculum vitae dos membros externos à UFRJ, em papel ou em CD.

§1º - No caso de Banca de Doutorado, anexar os artigos publicados (ou comprovantes de publicação) em atendimento ao Artigo 68 (Seção 8) do Regulamento do EPQB.

§2º - Apenas artigos referentes ao tema de tese, em que o aluno aparece como primeiro autor serão contabilizados.

§3º - Caso o aluno não seja o primeiro autor, deverá encaminhar à Comissão Discente uma justificativa com a devida antecedência à defesa da tese.

Art. 2º - As bancas deverão obedecer aos seguintes critérios gerais:

  1. Professores ligados a instituições de ensino deverão ter publicações em artigos científicos nos últimos 5 anos.
  2. Profissionais de empresas não têm obrigatoriedade de ter publicações científicas, mas devem ter Curriculum Vitae compatível com o tema da tese/dissertação do aluno.
  3. No caso de membro externo, não indicar, como membro titular, mais de um profissional oriundo da mesma empresa ou da mesma unidade de instituição de ensino e pesquisa.
  4. A participação de recém-doutores (título obtido nos últimos 5 anos, inclusive) ou pós-doutorandos deve ser contabilizada como um membro adicional, segundo o §2º dos Art. 3º e 4º.
  5. Apenas um dos membros titulares da banca poderá ter sido orientado, nos últimos 5 anos, pelo orientador da referida dissertação/tese.
  6. Com exceção dos orientadores, nenhum membro da banca poderá ter sido coautor de publicação contabilizada no §1º do Art. 1º, oriunda da dissertação/tese a ser defendida.
  7. É vedada a participação, em qualquer banca, de membros que tenham relação parentesca com o orientador ou o aluno.

Parágrafo Único - O número de membros da banca do setor empresarial não deverá ser superior ao da academia.

Art. 3º - Para bancas de defesa de dissertação de mestrado, o formulário de indicação de banca deverá conter 04 (quatro) nomes além do orientador que participará da banca, sendo 02 (dois) membros titulares, 01 (um) membro suplente interno ao Programa e 01 (um) membro suplente externo ao Programa.

§1º - Bancas de mestrado devem conter 01 (um) membro titular pertencente ao Programa, além do orientador, e 01 (um) membro titular externo ao programa.

§2º - O caput deste artigo se refere aos mestrados acadêmico e profissional.

Art. 4º - Para bancas de defesa de exame de qualificação ao doutorado, o formulário de indicação de banca deverá conter 05 (cinco) nomes, sendo 03 (três) membros titulares, 01 (um) membro suplente interno ao Programa e 01 (um) membro suplente externo ao Programa.

§1º - Bancas de exame de qualificação ao doutorado devem conter pelo menos 01 (um) membro titular pertencente ao Programa e pelo menos 01 (um) membro titular externo ao Programa.

§2º - O(s) orientador(es) NÃO farão parte da banca (Art. 49, §1º do Regulamento do EPQB).

Art. 5º - Para banca de defesa de tese de doutorado, a lista deverá conter 6 (seis) nomes, além do orientador que participará da banca, sendo 04 (quatro) membros titulares, 01 (um) membro suplente interno ao Programa e 01 (um) membro suplente externo ao Programa.

Parágrafo Único - Bancas de doutorado devem conter pelo menos 01 (um) membro titular pertencente ao Programa, além do orientador, e pelo menos 02 (dois) membros titulares externos ao Programa (Art. 61 do Regulamento do EPQB), sendo que pelo menos um deles deve ser obrigatoriamente externo à UFRJ.

Art. 6º - A Comissão de Aprovação de Bancas poderá entrar em contato com o(s) orientador(es) para dirimir dúvidas ou discordâncias acerca da banca proposta pelo orientador.

Parágrafo Único - Caso não seja possível alcançar um consenso entre a banca proposta pelo orientador, a Comissão de Aprovação de Bancas encaminhará o assunto para deliberação da Comissão Deliberativa do Programa (C.D.P.).

Art. 7º - O número de membros da banca poderá ser maior que o disposto nos Artigos 3º, 4º e 5º, sujeito à aprovação pela Comissão de Aprovação de Bancas.

Art. 8º - A Comissão de Aprovação de Bancas se reunirá duas vezes por mês, com calendário que será divulgado pela Coordenação do EPQB.